Cidade Ademar, Destaque, Destaques, Notícias, O Bairro
Deixe um comentário

Livros, poesia e luzes – Ato na Praça do Jardim Miriam propõe conscientização e homenagem aos mortos pela Covid.

Grupo utiliza as artes como livros, músicas e poesias para conscientizar a população e reivindicam uma Biblioteca Comunitária na Praça do Jardim Miriam.

Manifestantes acendem dezenas de velas na Praça do Jardim Miriam, em homenagem às mais de 573 mil vidas interrompidas pela Covid-19. Nesta sexta-feira, dia 20, o total de mortos por Covid no Brasil desde o início da pandemia, segundo o “pool” de veículos, chegou a 573.658. Integrantes de vários movimentos sociais da região como Marcha Mundial das Mulheres, Rádio Poste, Coletivo de Mulheres, Frei Tito e Expresso Periférico, participaram do ato, com músicas ambientes, e ainda levaram livros para serem distribuídos gratuitamente para quem passava pelo local.

O grupo também pediu pela saída do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) do cargo, pois alegam que o governo agiu com incompetência e omissão no combate à pandemia. Além da cerimônia com acendimento de velas, foram distribuídos dezenas de máscaras descartáveis para a população, e enfatizavam a utilização do utensílio como protocolo indispensável para evitar o contágio.

Coletivo de Mulheres acendem as velas no inicio do ato desta sexta, dia 20 – Divulgação

De acordo com Mauro Castro, um dos organizadores do evento, o ato acontece a cada 15 dias e tem por finalidade trazer informações para a população local, e ainda divulgar os movimentos culturais que acontecem na região por meio do Expresso Periférico e também da Rádio Poste que atua levando cultura e informações há 12 anos na região.

Biblioteca na Praça – Uma das reinvindicações do grupo é transformar o espaço onde antes funcionava a Gibiteca da Turma da Mônica em uma Biblioteca Comunitária.  Segundo Mauro o projeto da biblioteca é substituir o antigo ônibus biblioteca que parava na praça. “Temos o objetivo de trazer a cultura, informações e livros que é o caminho para tirar as crianças da frente do computador, do celular das crianças e trazer cultura para a população”, finalizou Mauro.

Gibiteca abandonada há anos na praça do Jardim Miriam pode se transformar em uma Biblioteca Comunitária.

Veja entrevista com Mauro Castro

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s