Cidade Ademar, Política
Deixe um comentário

Subprefeito prioriza a área da “saúde” no inicio de mandato

 “Somos o governo local, temos que nos aproximar de todos eles (secretarias municipais, estaduais e federais). Foi o que fiz nos primeiros dias, visitei todos os equipamentos de saúde e me aproximei juntamente a isto, as intervenções de outras pastas como o SIURB (Sistema de Acompanhamento de Obras), a Sabesp pelo Estado, o que a Sabesp está fazendo na região, podemos juntos qualificar as obras”.

(Subprefeito da Cidade Ademar Renato Galindo)

O novo subprefeito da Cidade Ademar Renato Galindo Jardim da Silva, nomeado pelo prefeito Bruno Covas (PSDB) no último dia 19 de março, assumiu ao cargo para administrar uma área com cerca de 500 mil pessoas e com poucos recursos, R$ 34 milhões de orçamento destinados para a subprefeitura. Deste valor, cerca de R$ 24 milhões são destinados para a manutenção dos três piscinões que a região possui, diferente das demais subprefeituras que recebe valores semelhantes, mas não têm estas despesas. Diante destas dificuldades, ainda há a pandemia, e é neste foco que o subprefeito atua de imediato, colaborando com os equipamentos de saúde.

Galindo logo nos primeiros dias que assumiu ao seu novo posto visitou todos os equipamentos de saúde da região, pois é o local onde os moradores locais estão mais frequentando, e já fez intervenções, no cabe à administração local, como: arrumar as calçadas, podas de árvores nas proximidades e demais serviços de zeladoria ao redor.

Outro ponto imediato informado pelo subprefeito é quanto ao cumprimento dos decretos municipais, que tratam das fases emergências do fechamento e abertura dos comércios. Galindo informa ainda que a subprefeitura além da zeladoria vai procurar o desenvolvimento da região com a aproximação com as demais secretarias para que executem obras e intervenções necessárias.

Afirma ainda que a população deve participar da gestão por meio de cobranças e também colaborando com a zeladoria, no que diz respeito ao descarte de lixo nas ruas. Afirma que todo cidadão deve ter orgulho de morar no bairro, valorizando ao pertencimento local e que o desenvolvimento do bairro é em longo prazo, pois a nossa democracia ainda é jovem e que no futuro os pais terão orgulho de seus filhos estarem estudando em escolas públicas.

Jornal O Bairro Cidade Ademar Quais os principais desafios da Cidade Ademar?

Renato Galindo – É um território extenso, com uma população extensa, e com recurso escasso, mas não é motivo, nem razão para faltar trabalho, dedicação e muito empenho. Estava enumerando todas as ações que já fizemos no período que assumimos e que possamos fazer muito mais com dedicação e transparência.

Jornal O Bairro Cidade Ademar Como a Subprefeitura está lidando com a pandemia, com recursos escassos e o desenvolvimento do bairro parado?

Renato Galindo – Boa parte do servidor, do modo geral, do nível de gabinete, como os engenheiros e arquitetos, estão em tele trabalho, até a nossa Praça de Atendimento, que trata do munícipe, está deficitário. Mas por outro lado, temos uma porção de equipamentos de saúde na região que possuem atendimento ampliado. Logo que chegamos fizemos a questão de conhecer os trabalhos dos profissionais de saúde da região e qualificar o espaço onde o cidadão da Cidade Ademar e Pedreira estão frequentando com mais assiduidade. Qualificar estes espaços é o maior foco agora. Porém, o trabalho com a minha equipe de obras, manutenção, limpeza de galerias, córregos, podas de árvores, estão 100% trabalhando. As nossas equipes de fiscalização do comércio, para que cumpra com o decreto do Prefeito. É complicado, pois acredito muito numa qualificação da região com o empreendedor regional, pois ele qualifica o bairro, pois é ele que faz o investimento, gera emprego, qualifica o seu comércio, faz uma calçada melhor, traz o comércio pujante e o morador da região tem menos deslocamento e a mobilidade pública melhora, mas temos que atuar. Este é um momento difícil que o empreendedor está passando, pois o decreto não permite que, na fase emergencial, muitos comércios não podem ficar abertos e temos que autuar e multar. Temos muitas denúncias e é conflitante, pois ao mesmo tempo em que queremos apoiar este empreendedor que gera emprego, tem um momento de pandemia que temos todas estas dificuldades. Esta é uma demanda constante ultimamente.

Jornal O Bairro Cidade Ademar Passando a fase da pandemia há um estudo para ajudar estes pequenos empresários a se reerguerem?

Renato Galindo – Mais do que neste período, como também na pós-pandemia. Ontem (15 de abril) foi aprovada em primeira votação na Câmara Municipal, a questão do PPI (Programa de Parcelamento Incentivado), que é a dos parcelamentos das dividas do município, até para favorecer isto também, já houve projetos relacionados às dividas federais e o próprio auxilio do Governo Federal já é uma ajuda. Não é da nossa esfera, mas em relação a tudo o que podemos fazer para estes empreendedores no local de apoio, de mobilização, é que não se pode aglomerar, mas no que podemos apoiar, faremos. Pois são eles quem geram emprego e renda.

Jornal O Bairro Cidade Ademar Neste primeiro momento quais são as principais prioridades?

Renato Galindo – A função da Prefeitura Regional há alguns anos, é de zeladoria, realmente é o nosso papel, mas não quero ficar obstante aos equipamentos públicos que temos no local. Tem Saúde, Educação, entre outras, pois há secretarias e pastas diferentes. Somos o governo local, temos que nos aproximar de todos eles. Foi o que fiz nos primeiros dias, visitei todos os equipamentos de saúde e me aproximei juntamente a isto as intervenções de outras pastas como o SIURB, a Sabesp pelo Estado, o que a Sabesp está fazendo na região, podemos juntos qualificar as obras.

Jornal O Bairro Cidade Ademar A Prefeitura recebeu R$ 34 milhões de Orçamento e o recurso é escasso, como o Senhor vai trabalhar com este valor? Vai tentar emendas para áreas específicas, como Saúde, Segurança ou outra área?

Renato Galindo – A informação com transparência para que todos possam saber. Há alguns anos pela LOA, Lei de Orçamento Anual, é que os recursos são destinados. Nosso recurso é de R$ 34 milhões, a regional X, recebeu outro valor e assim por diante. E este orçamento é deste valor, e uma outra regional recebe o mesmo valor. Porém, a Cidade Ademar gasta R$ 8 milhões só com os piscinões e nós temos três piscinões na região.
As emendas parlamentares virou algo tradicional para que façamos ações de investimentos na região. A Cidade Ademar tem investido em Praças, espaços públicos e no ano passado isto aconteceu por conta das emendas. Existem outros projetos de galerias e de qualificação na SIURB, SP Obras. Tem intervenções na região que temos que procurar uma interlocução para qualificar. É o nosso dever, é muito tacanho pensar, “Ah eu só vou gerir este orçamento da melhor forma, duas equipes de logradouros, poda de árvores e ficar só nisso”, e as intervenções principais? Por que é que está alagando? Ah! Não tenho recurso para fazer, então vamos nos órgãos como o SIURB, vamos cobrar e colaborar, ampliar estes orçamentos é importante.

Jornal O Bairro Cidade Ademar A Sabesp está realizando várias obras para a despoluição dos córregos do Cordeiro e Zavuvus, existe algum projeto em relação ao remanejamento de pessoas em áreas de risco? Estes locais estão sendo mapeados? Haverá áreas desocupadas?

Renato Galindo – Isto é bem extenso, pois são projetos mais longos. Em gestão pública tem muito disto, o gestor fica um período e acaba não acompanhando as obras. Não quero ser assim, vou tentar acompanhar o máximo. Estive com o responsável da Sabesp aqui, e com outras autoridades.  Da Sabesp em especial, a empresa ficou de trazer um mapa de todas as intervenções. Tem projetos em áreas onde as ocupações são totalmente irregulares. Os ligamentos de esgoto, a água, tem que haver estas intervenções, não é fácil, é uma questão bem difícil, de âmbito federal.  Mas nossa região tem que atuar com isto e qualificar. A Sabesp vai me enviar um mapa específico de todas as intervenções para projetos futuros.

Jornal O Bairro Cidade Ademar Na área da cultura, recentemente foi aprovado a Casa da Cultura da Cidade Ademar, como o Sr, vês esta expectativa, pois na regiião não possui nenhum equipamento para o lazer.

Renato Galindo – A Casa de Cultura está aprovada. Teve uma emenda expressiva de mais de um milhão é questão de períodos e prazos curtos para termos a primeira Cassa de Cultura aqui na região.  Já está aprovado o projeto e com recursos, Isto é importantíssimo para a região, mas não conheço o prazo especifico para o inicio e a entrega da obra.

Jornal O Bairro Cidade Ademar Na área da Segurança há a possibilidade do fechamento de alguns DPs da região, como 43º DP da Cidade Ademar e o 80º DP da Vila Joaniza, o Sr, tem conhecimento?

Renato Galindo – Esta possibilidade de juntar os distritos e o fechamento destes DPs já foi descartada. O Governador já recuou.

Jornal O Bairro Cidade Ademar A região está passando por uma transformação imobiliária com vários empreendimentos na Cidade Ademar, principalmente no Jardim Miriam, que é o ponto de transição dos moradores da Pedreira e outros pontos da Cidade Ademar e o ABC. Há algum projeto de urbanização no local?

Renato Galindo – Hoje, (16 de abril) bem cedo, o pessoal da Rua das Flechas (continuação da Avenida Cupecê) estiveram aqui. Segundo eles, tem 10 empreendimentos de moradia iniciais no local. Quanto de impacto tem isto? De mobilidade, de trânsito, de CET, porém, estas aprovações não competem da subprefeitura. São outras secretarias que aprovam estas construções e na maioria das vezes, contemplam qualificações de bairros, de tráfico, de viário, asfalto, praças e compensações ambientais, A nós compte ir até lá, regularizar fiscalizar as obras, é esta a nossa competência regional. Por outro lado, isto por si só qualifica a moradia regular, com matricula, com o seu IPTU e uma região nossa, que é carente, com tanta invasão… Eu tenho um pensamento sobre isto, talvez, para outro momento, é até filosófico. Acho a sociedade brasileira muito jovem ainda. É uma democracia jovem que precisa se qualificar. Quando tivermos uma economia mais pujante, com emprego e em uma democracia mais atuante e não tão jovem, o desenvolvimento vai ser mais natural. As áreas invadidas acontecem, por falta de emprego e problemas econômicos. O filho vai dizer para o Pai: “Pai, aqui não tem matrícula”. Em uma democracia bem mais madura, vamos chegar a um bom patamar de qualidade. Ah! Então enquanto isto não chegar, o povo vai sofrer? Não, jamais, vamos nos qualificando, trabalhando para melhorar.

Quero pedir para que o cidadão da Cidade Ademar e Pedreira tenham orgulho de sua região e participem da sociedade, reclamando, elogiando e prezando pela limpeza, cuidando do descarte de lixo e verificando as praças públicas, nos comunique irregularidades, montem seus grupos. Além de nos comunicar nos ajudem, vamos ajudar a manter isto limpo, é pertencimento. “O Poder Público não joga lixo no chão”, finalizou.

Este post foi publicado em: Cidade Ademar, Política

por

Formado em Jornalismo pela Universidade Metodista de São Paulo, Letras, pela Faculdade Diadema. Pós-Graduado em Estudos Linguísticos e Literários pela Fundação Santo André. Andante das ruas da Cidade Ademar e de toda São Paulo e apaixonado pelas comidas de boteco e futebol, principalmente futebol de várzea.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s